25.4 C
Santo Antônio de Jesus
domingo, outubro 24, 2021

Engenheiro agrônomo como educador rural é destaque do Agronomia Sustentável

O quinto episódio da segunda temporada da série Agronomia Sustentável visitou duas importantes capitais da região Norte do país, Boa Vista (RR) e Macapá (AP), para mostrar o papel do engenheiro agrônomo na educação e capacitação de novos profissionais.

Nesse meio, o engenheiro agrônomo Jeferson Almeida de Brito, de Boa Vista, se dedica à hidroponia e inspira estudantes a seguirem por esse caminho. “A hidroponia é um nicho de mercado no qual podemos nos inserir com um produto de qualidade e com boa aceitação”, diz.

Brito produz hortaliças e afirma que são necessários 50 dias desde que se coloca a semente no substrato até o período em que pode ser colhida. Esse processo acelerado permite a realização de até 11 colheitas por ano. “Para mim é emocionante poder lidar com uma semente e transformá-la em produto para que depois a sociedade o consuma. Não me vejo em outra profissão. A gente produz alimento e ajuda o meio ambiente”, destaca.

Esse bom exemplo contagia os estudantes de agronomia da capital, como Yenara Guedes. “Nunca tive dúvidas da profissão que gostaria de seguir, então conhecer esse meio, conhecer o senhor Lourival, é muito gratificante. Todas as vezes em que venho aqui é uma aquisição de conhecimento diferente. Além disso, ele nos ensina a conservar o meio ambiente. O projeto dele de alface hidropônica é totalmente sustentável. Todo o material que ele usa, todo o resíduo tem a sua destinação final”, conta a estudante.

As cinco bancadas de hortaliças construídas no início do negócio, há quase 20 anos, se transformaram em 450. Toda a estrutura foi construída com material reciclado e a água consumida na produção advém de poço artesiano. Além disso, o adubo produzido na hidroponia ajuda a mata nativa ao redor a se desenvolver ainda mais. Além disso, o conhecimento de engenheiro agrônomo de Brito é útil para que ele produza o seu próprio substrato.

Potencial em Roraima

Ainda em Boa Vista, o programa conheceu a engenheira agrônoma Jéssica Tosin Lima, uma apaixonada por pesquisas e com um gosto especial pelos estudos. Atualmente, ela divide seus conhecimentos com mais de 100 alunos entre as turmas do ensino médio e da faculdade. “O engenheiro agrônomo é um profissional preocupado com o meio ambiente, com a alimentação e quer ter o cuidado com a natureza para deixar o seu meio adequado para quando for pai e avó e para as gerações seguintes”, diz.

A profissional dedicou a vida acadêmica à área de fitotécnica com ênfase em fruticultura, pós-colheita e processamento de alimentos com produtos típicos da região Norte. Atualmente ela também é diretora técnica e conselheira da Associação de Agrônomos de Roraima e enxerga no setor um cenário promissor. “Temos hoje, por exemplo, diversos produtores que estão saindo da região Sul e Centro-Oeste e estão vindo investir em Roraima”, afirma.

Nos últimos anos anos, a expansão da soja e da pecuária no estado levantaram um alerta sobre os desafios logísticos da região e a necessidade de acesso ao porto de Georgetown, capital da Guiana, país do qual Roraima faz fronteira, além de outras potenciais alternativas para o escoamento da produção. “São dois caminhos que temos diretamente com o Caribe para que possamos atingir o mercado consumidor, que é os Estados Unidos, além de todo o Caribe através da Guiana inglesa. Para nós é uma logística que importa muito. Então, estamos bem estrategicamente, ainda que tenhamos desafios a vencer, mas este é o caminho”, afirma o coordenador da Câmara de Agronomia do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RR), Carlos André Teixeira.

Cursos de capacitação

O segundo bloco do programa foi a Macapá, no Amapá, a única capital brasileira banhada pelo Rio Amazonas, e entrevistou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do estado (Faeap), Iraçu Colares, que falou sobre cursos de alfabetização e capacitação no meio rural.

“Ultimamente temos despertado o tema de que a missão do produtor rural é produzir alimentos, algo muito mais profundo porque é a subsistência, a sobrevivência da humanidade. Sem alimento não se tem saúde, educação, segurança. […] é a base para que as outras atividades possam ser desenvolvidas”, considera.

No ano passado, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), ligado à Faeap, mobilizou mais de 50 pessoas no estado nos treinamentos na área de formação profissional rural e promoção social. “É um trabalho muito interessante, muito bonito. […] ao assumir a direção do Senar e participar ativamente dos cursos no meio rural, acontece de a gente se emocionar com a emoção das pessoas que aprendem a fazer alguma coisa, seja na leitura, no artesanato, na manipulação de tecidos, por exemplo”, conta.

Nesse meio, um profissional com papel essencial é o engenheiro agrônomo Jeferson Almeida de Brito. “Acredito que a educação é o alicerce de toda profissão e na agronomia isso não é diferente. Pelo Brasil ter dimensões continentais, muitas profissões dentro da ciência agronômica acabam sendo diferentes em função de peculiaridades regionais. Por exemplo, um agrônomo formado na região Norte é diferente do da região Nordeste. Por lá, só pela diferença pluviométrica que acontece naquele local, já é possível ver uma sensível diferença na formação desses engenheiros, tornando certos profissionais mais experts em determinadas áreas”, explica.

Além de ministrar aulas e desenvolver pesquisas e atividades nas áreas de extensão ambiental e agrícola, Brito faz o acompanhamento para fumigação em porões de navios com cargas de grãos, atividade diretamente focada no controle de pragas. “A agronomia é uma profissão multi-talento. São várias ciências envolvidas na base de formação desse curso. Quando saímos da faculdade, percebemos que podemos atuar em diversas áreas dentro da agronomia”, destaca.

O projeto Agronomia Sustentável é uma parceria do Canal Rural com o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), os Conselhos Regionais (Creas), e Organização das Cooperativas Brasileiras. O programa vai ao ar aos sábados, às 9h, com reprise aos domingos, às 7h30. Na próxima semana, o programa visita Belém do Pará.

Ver Matéria Original

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Redes Sociais

954FãsCurtir
11,254SeguidoresSeguir
79SeguidoresSeguir
Santo Antônio de Jesus
nublado
25.4 ° C
25.4 °
25.4 °
82 %
1.7kmh
98 %
dom
27 °
seg
30 °
ter
31 °
qua
27 °
qui
26 °

Últimas Publicações

error: Conteúdo Bloqueado!